domingo, 3 de outubro de 2010

Deputado à beira de passar fome…

Deputado pede jantar na cantina

Se abrissem a cantina da Assembleia da República à noite, eu ia lá jantar. Eu e muitos outros deputados da província. Quase não temos dinheiro para comer”, afirmou Ricardo Gonçalves ao CM, repetindo o que tinha dito na última reunião do grupo parlamentar do PS, perante as medidas de austeridade do Governo.

Por: Manuela Teixeira

O deputado socialista, que aufere cerca de 3700 euros mensais, reagiu assim ao corte de 5% que será aplicado de forma progressiva na Função Pública a quem recebe mais de 1500 euros. “Tenho 60 euros de ajudas de custos por dia. Temos de pagar viagens, alojamento e comer fora. Acha que dá para tudo? Não dá”, referiu Ricardo Gonçalves para argumentar a sugestão que fez de a Assembleia da República abrir a cantina à hora do jantar.

Ricardo Gonçalves admite que lançou um repto irónico aos colegas de bancada, mas afirma que o assunto é sério, e que a classe política também é muito atingida pelas medidas de austeridade. “Estamos todos a apertar o cinto, e os deputados são de longe os mais atingidos na carteira”, reafirma o socialista Ricardo Gonçalves.

O deputado ousou até discutir o assunto com José Sócrates. “Até foi uma discussão muito forte. Disse-lhe que as medidas já deviam ter sido aplicadas há mais tempo e que ele tem de explicar muito bem aos portugueses porque é que as contas de 2010 ainda não estão certas”. referiu Ricardo Gonçalves.

Correio da Manhã

Comentário:

Conheço pessoalmente o Ricardo Gonçalves há mais de 15 anos. Mas nem isso chegou para me responder a um e-mail, há poucos meses, quando se discutia a questão dos mega-agrupamentos…

Julgo que na altura em que o conheci já não dava aulas, mas preparava a sua ascensão na política… Já era um funcionário do PS e amigo pessoal do actual presidente da Câmara de Cabeceiras de Basto, Joaquim Barreto, que viria a ser o presidente da distrital de Braga do PS. A partir da entrada de Barreto na distrital de Braga, o caminho de Ricardo Gonçalves tornou-se mais largo, tendo integrado a lista de deputados. E a partir dali, foi só aproveitar a onda.

Não me lembro de Ricardo Gonçalves ter tomado posições contra o seu partido, na defesa da região por que foi eleito, ou então na defesa dos docentes, que ele afirma ser também. Levanta agora a sua voz para defender os seus interesses particulares… Não tem juntado o seu voto a outros para ‘castigar’ algumas classes profissionais, sem sequer discutir a justeza das medidas? Pois agora tem ali o pagamento que merece, dando razão ao ditado popular que diz: «Não te rias do mal do vizinho que o teu vem a caminho

Se não está de acordo com a situação, tem um caminho: renunciar ao seu mandato e regressar à escola a que pertence, para se aperceber das mudanças introduzidas nas escolas desde aquela altura em que ele era professor e que ele aplaudiu no hemiciclo em S. Bento…

Se quiser continuar e não tiver dinheiro para comer, pode sempre recorrer a uma instituição de caridade… Talvez então crie consciência dos problemas por que passam aqueles que ganham apenas o salário mínimo ou que estão no desemprego!...

2 comentários:

Eduardo disse...

Muito bem. Este senhor em salário base mais ajudas de custo máis quilómetros tira 5200 por mês. É difícil acreditar mas é a verdade, dado que um deputado, cujo círculo eleitoral é distante de Lisboa, recebe também uma subvenção ao quilometro desde a sua casa ao parlamento.´Este senhor não tem consciência dos graves problemas que afectam a classe média e média baixa deste país. Este desabafo é um insulto a quem nada tem e que ainda por cima tem que gramar com o governo Sócrates. Estamos entreguesa a estas aves de rapina, infelizmente.

Lucilia disse...

Vergonha...são estes parasitas que impossibilitem o País de Avançar.
O que dirão os que auferem o salário minimo nacional(475 € ) + reformas de 300 € ?